quarta-feira, 18 de novembro de 2009

VIDA DE INDIO

Vamos viver feito indío
Amanhecer e adormecer
No mundo lindo
Longe de tudo que faz crer
Que somos cativos
Tantos mutivos que nos tiram a paz
Nesse lugar não existe regra
Mutivos que nos tire a paz
Mutua é a entrega
Sem essas cobranças
Que só tiram a esperança
Viver soltos na natureza
Desfrutar da beleza
Do chão tirar nosso pão
Na fonte cristalina
Matar nossa sede
Nossa cama a rede
Nosso teto o céu estrelado
Tudo isso simplificado
Livres desasjustados
Insânos sem pecados
Vivendo do nosso jeito
Sem lei e sem preconceito


CEIÇA PROCOPIO 18/11/09

NA LUZ DO SEU SORRISO

Na luz do seu sorriso
Vejo um paraiso
Magia que irradia plena felicidade
Você é a realidade
Certeza que na vida
Ainda existe pureza
Adoro seu corpo bronzeado
Tom dourado
Feito som de uma canção romântica
È a cura quantida
A perfeição da vida
Você é todo feito a paixão
De viver tudo que pede o coração




CEIÇA PROCOPIO 18/11/09

Você é assim....

Comparo você a um passarinho
Cheio de liberdade
Faz seu ninho
Voa cortando espaço
Felicidade é sentir liberdade a seu alcance
Mergulhar no rio
Comer frutos maduros
No balanço dos galhos seguros
Rolar na grama
Fazer da areia sua cama
Exemplo da felicidade
Só de ti ver me sinto feliz
Com seu jeito de aprendiz
Imitando a natureza
Corpo bronzeado
Apaixonado pelo verão
Maravilhoso é o seu coração
Sorriso gostoso
Faz de vc um paraíso
A paz que transcende a alma
Adormece na calma
Exemplo vivo da esperança
Que basta vc querer´
Estender as mãos
Liberdade é seu poder

CEIÇA PROCOPIO 18/11/09

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Sinto em você a magia
Uma alegria contagiante
Sua boca a ternura e a doçura
Dos instântes constantes
Que faz de vc o ser ideal
Sinto por vc um sentimento especial
Significante o bastante
Para que seja eterno
Esse sentimento terno
É o amor verdadeiro
Vem que vou ti querer
Até morrer
Vc é o amor
Verdadeiro,absoluto companheiro
amor assim
Jamais tem fim

CEIÇA PROCOPIO 16/11/09

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

VIDA....

Vida louca desatinada
O pouco é nada
O muito é exagero
Dificíl acertar o tempero
O gosto o cheiro
No final acaba o que seria ideal
O amor desaba Ponto final
A vida é assim
Começo meio e fim
CEIÇA PROCOPIO
02/11/09