sexta-feira, 4 de maio de 2012

TUDO BANAL

Nada apenas um vazio
Um infinito onde o grito ecoa
Ninguém houve...
Voa feito pássaro ferido
Implorando abrigo
Nada acontece...
Meu ser perece na tristeza,dessa busca
Alguma garantia,que no futuro
Meu sol ainda vai brilhar
Nada nenhum sinal
Tudo banal...
Desabou a esperança
Apenas sofro,a dor desse aborto
arrancado a ferro frio
Ceiçaprocopio

Nenhum comentário:

Postar um comentário