quarta-feira, 22 de abril de 2009

FIM

Nada me basta,apenas me afasta da vida ingrata
Me fiz nula qdo vc me abandonou
Acabou o brilho da lua,apagou a luz do sol
Nada restou,sou o que sou e vou sem rumo
Virei resumo,águas passadas simplesmente fim de jornada
Nada mais me interessa perdi a pressa,apenas sigo
Divido o meu tempo com o nada
Tudo morreu,restou esse EU sem mutivo
Não vivo apenas sigo rumo ao fim
Caminho a passos lentos,chorando os lamentos
Tive a vida detonada no tormento do nada
Sigo rumo ao precipicio que dará início ao fim da minha jornada

CEIÇA PROCOPIO

Nenhum comentário:

Postar um comentário