sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

AGONIA


Em cada dia uma agonia
Em cada momento mais sofrimento
Em cada saudade uma lágrima
Em cada lágrima uma magoa
Em cada magoa um desencanto
A vida jogada num canto
Canto a solidão
Que ocupou meu coração
Que de tanto amor
Acabou quebrado
Esperei alguém colar os cacos
Ninguém foi capaz
Assim sigo,mantendo a jornada
De tanto que fiz
Acabei infeliz
Da vida não espero mais nada....
Ceiça

Um comentário:

  1. Ceiça,
    Este seu poema é muito bom mas está um pouco pra baixo. Precisamos subir os páramos estsmos nas festas de Natal, quando nasceu aquele que, segundo a Bíblia, morreu por nós e nos trouxe o mandamento do amor, coisa que não existia ainda. Salve o Sermão da Montanha, o mais famoso do mundo.
    Gostei do seu blog, vou voltar outras vezes e mandar matéria, pode?
    Abraços de felicidade afeição humana
    FRANCISCO MIUGEL DE MOURA

    ResponderExcluir