sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

------------DESEJO CRUEL----------------


Tenho garras de águia
Não tente me colocar amarras
Não me substime,perdi a doçura
Não me recrimine,por não ter mais ternura
Acabou a esperança
Morreu a criança que alimentava meu sonhos
O que hoje eu sofro,são os tristonhos pesadelos
Acumulados dentro de mim
Estou esperando o fim
Não suporto mais esse tanto faz
As pessoas que gosto
Vão para nunca mais
Nada resta, apenas essa solidão
As arestas mal aparadas, que sangram meu coração
Não.....Hoje meu desprezo é o desejo cruel
Hoje não sou mais eu.
Sofri uma mutação
a outra simplismente morreu.....
Ceiça

Nenhum comentário:

Postar um comentário