quarta-feira, 9 de março de 2011

SEM CONTROLE

Perdi o controle
Estou frustrada
Cansada de me auto sabotar
Tentando fazer feliz que diz me amar
Dono do meu sorriso fácil
Resolvi descer do salto
E mostrar minha autosuficiencia
Quando é preciso uso minha inteligencia
Disparo palavras sem negligências
Que amargam minha garganta sedenta
Ti arranco de vez,decidida sem talvez
Sofro...Mas sobrevivo aos trancos e barranco
Até voltar ao equilíbrio
Cair novamente em outra paixão
Sempre correndo o perigo eminente
Que faz dor ao coração
CEIÇA

Nenhum comentário:

Postar um comentário