segunda-feira, 25 de junho de 2012

FUGAZ

Fugaz,atrevido
Plantou se em mim
Sem que tenha consentido
Ficou por conta própria
Nem dei conta
Coração apronta e faz folia
quando acaba judia

Chora a inconsequência
Amou um dia,quem não deveria
Assim foi acontecendo
Absorvendo aos poucos
Esse sentimento louco
Meio de improviso
Ignorou o perigo
Burlou o aviso
foi adiante

Apaixonou e acabou distante do que sonhou
Veio a realidade escancarando tudo
Foi apenas ilusão
Ferido ainda está ,meu coração
Naõ aprende,vive no talvez
Arrepende tarde dimais
Segue seu destino 
No desatino sempre sem paz
Ceiça Procopio


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário